27.4 C
Limeira
21/05/2024

Rússia intensifica críticas a Thomas Bach, presidente do COI

- Publicidade -spot_imgspot_img
-Publicidade -spot_imgspot_img


A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, acusou o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, nesta quarta-feira (3), de desacreditar o esporte internacional e contradizer os princípios do movimento olímpico.

Em entrevista semanal, Zakharova também repetiu seu pedido de investigação sobre as ações de Bach.

Bach manteve uma conversa com comediantes russos pensando se tratar de um dirigente esportivo africano, publicada na terça-feira, na qual ele disse que o COI havia solicitado à Ucrânia que fornecesse informações sobre atletas e dirigentes russos como parte de um processo de monitoramento.

O objetivo era garantir que nenhum atleta que tivesse feito declarações políticas em apoio ao governo pudesse participar dos Jogos Olímpicos de Paris deste ano.

Zakharova disse que isso representava uma “conspiração” entre o COI e a Ucrânia para excluir atletas russos fortes dos Jogos.

“Tudo isso exige análise, estudo e investigação profundos e completos. Porque pessoas como Thomas Bach desacreditam o esporte mundial, desacreditam o movimento olímpico”, afirmou ela aos repórteres.

As relações entre a Rússia e o COI pioraram na preparação para os Jogos Olímpicos de Paris, que começam em 26 de julho, onde os atletas russos e bielorrussos competirão como neutros, sem suas bandeiras e hinos, e serão excluídos do desfile de abertura.

Eles foram inicialmente proibidos de competir internacionalmente após a invasão da Ucrânia pela Rússia em fevereiro de 2022, que Moscou chama de “operação militar especial”.

Bach também disse na ligação falsa que ficaria muito grato pela ajuda para limitar a participação africana nos Jogos da Amizade que a Rússia planeja sediar este ano.

O COI disse no mês passado que o plano da Rússia de realizar “eventos esportivos com motivação puramente política” violava os princípios da Carta Olímpica e que os países não deveriam participar deles.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse na quarta-feira (3) que a atitude de Bach em relação aos planos da Rússia de sediar eventos esportivos internacionais era “inaceitável” e que o COI estava prejudicando o movimento olímpico ao se recusar a se dissociar da política.

* É proibida a reprodução deste conteúdo.



Agência Brasil

- PUBLICIDADE -spot_imgspot_img
Veja também...
- Publicidade -spot_img
LOCAL
- Publicidade -spot_img

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Descubra mais sobre Guia Limeira

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading