Home Internet Acusada no caso Daniel, Allana Brittes vira `influencer` com 75 mil seguidores...

Acusada no caso Daniel, Allana Brittes vira `influencer` com 75 mil seguidores no Instagram

502
0

Mesmo acusada, pelo Minist√©rio P√ļblico do Paran√° (MP-PR), por coa√ß√£o no curso do processo, fraude processual e corrup√ß√£o de menor √† espera de julgamento no caso do homic√≠dio do jogador Daniel Corr√™a de Freitas, Allana Brittes, 18 anos, virou uma ¬īinfluencer¬ī na internet. Seu perfil no Instagram, reativado h√° 11 semanas, conta com 75,3 mil seguidores, fotos em restaurantes e bares e muitos elogios nos coment√°rios. Com a popularidade em alta, Allana at√© abriu uma loja virtual na mesma rede social, a Brittestore.

Ela, a m√£e, Cristiana Brittes e outros r√©us conseguiram na Justi√ßa autoriza√ß√£o para permanecer em liberdade at√© o julgamento. Apenas  o pai de Allana, Edison Brittes continua preso. Allana foi a primeira dos r√©us a obter o direito de responder em liberdade pelo crime, em 7 de agosto deste ano. 

Como est√° o processo

A  ju√≠za Luciani Regina Martins de Paula, da 1¬™ Vara Criminal de S√£o Jos√© dos Pinhais, revogou em 9 de outubro as pris√Ķes de David William Vollero, Eduardo Henrique Ribeiro da Silva e Ygor King e mandou suspender o monitoramento eletr√īnico de Cristiana Brittes.  A decis√£o acatou o pedido feito pelo Minist√©rio P√ļblico do Paran√° (MP-PR) nas alega√ß√Ķes finais.No texto, a ju√≠za alegou que a decis√£o acompanha “novos paradigmas” da Lei de Abuso de Autoridade que, segundo a ju√≠za, “demandaria a substitui√ß√£o da cust√≥dia cautelar de tais r√©us por medidas alternativas”. Em seu despacho, que tamb√©m mandou retirar a tornozeleira de Cristiana Brittes, a magistrada relata que ‚Äúm√£o se teve not√≠cia, pelo menos at√© o presente momento, de que a r√© tenha descumprido alguma das condi√ß√Ķes a ela impostas, pelo que vislumbro a possibilidade de revoga√ß√£o da medida cautelar de monitora√ß√£o eletr√īnica anteriormente aplicada, mantendo-se as demais vigentes, vez que s√£o suficientes e eficazes ao caso em tela‚ÄĚ. Com a decis√£o, apenas o empres√°rio Edison Brittes, que confessou ter matado o jogador, continua preso na Casa da Cust√≥dia de S√£o Jos√© dos Pinhais.

O MPPR pediu, nas alega√ß√Ķes finais, que os sete r√©us no processo que investiga o assassinato do jogador Daniel sejam levados a j√ļri popular. O Quem decidir√° se acata ou n√£o o pedido do MPPR √© a  ju√≠za Luciani Regina Martins de Paula, da 1¬™ Vara Criminal de S√£o Jos√© dos Pinhais. Antes disso, o assistente de acusa√ß√£o, Nilton Ribeiro (advogado que atua em defesa da fam√≠lia de Daniel) tem que anexar ao processo as suas alega√ß√Ķes finais. Depois disso, os advogados dos sete r√©us tamb√©m apresenter√£o as alega√ß√Ķes finais.

Edison Brittes, réu confesso da morte do jogador Daniel, é condenado por receptação de carro roubado

O crime

O jogador Daniel foi encontrado morto, em 27 de outubro do ano passado, na Col√īnia Mergulh√£o, √°rea rural de S√£o Jos√© dos Pinhais, com sinais de tortura e com o √≥rg√£o sexual mutilado. O empres√°rio Edison Brittes J√ļnior, que confessou ter matado o jogador, alega que o atleta tentou estuprar a esposa Cristina Brittes.O crime aconteceu depois da festa de 18 anos de Allana Brittes, filha de Edson e Cristiana, na casa da fam√≠lia. Segundo a investiga√ß√£o, Daniel tirou fotos ao lado da esposa do empres√°rio, no quarto do casal, antes do crime. Tanto a Pol√≠cia Civil quanto o Minist√©rio P√ļblico do Paran√° afirmam que n√£o houve tentativa de estupro. A acusa√ß√£o afirma que n√£o encontrou elementos que sustentem a vers√£o de que Cristiana tenha sido atacada pelo jogador. 

R√©us devem ir a j√ļri pelos seguintes crimes, conforme alega√ß√Ķes finais do MP:

Allana Emilly Brittes: Fraude processual, corrup√ß√£o de adolescente e coa√ß√Ķes no curso do processo.

Cristiana Rodrigues Brittes: Homic√≠dio qualificado por motivo torpe, fraude processual, corrup√ß√£o de adolescente e coa√ß√Ķes no curso de processo.

David Willian Vollero Silva: Homic√≠dio triplamente qualificado (motivo torpe, meio cruel e outro recurso que dificulte ou torne imposs√≠vel a defesa), oculta√ß√£o de cad√°ver e fraude processual.

Edison Luiz Brittes Junior: Homic√≠dio triplamente qualificado (motivo torpe, meio cruel e outro recurso que dificulte ou torne imposs√≠vel a defesa), oculta√ß√£o de cad√°ver, fraude processual, corrup√ß√£o de adolescente e coa√ß√Ķes no curso do processo.

Eduardo Henrique Ribeiro da Silva: Homic√≠dio triplamente qualificado (motivo torpe, meio cruel e outro recurso que dificulte ou torne imposs√≠vel a defesa), oculta√ß√£o de cad√°ver, fraude processual e corrup√ß√£o de adolescente.

Evellyn Brisola Perusso: Fraude processual.

Ygor King: Homicídio triplamente qualificado (motivo torpe, meio cruel e outro recurso que dificulte ou torne impossível a defesa), ocultação de cadáver e fraude processual.

Informa√ß√Ķes: Bem Paran√°