Depressão infantojuvenil é tema de roda de conversa

Depressão infantojuvenil é tema de roda de conversa

37
0
COMPARTILHAR

O Ambulatório de Saúde Mental da Prefeitura de Limeira realizou na manhã de hoje (9), uma roda de conversa com o tema “Conversando sobre a depressão na infância e adolescência”, coordenada pela psicóloga da Rede de Atenção à Saúde Mental do município, Gabriela Simoneti da Costa, especialista nos Transtornos Globais do Desenvolvimento (TGD), pela Universidade de São Paulo (USP).

Voltado a estudantes, profissionais da área de educação e saúde, bem como interessados no tema, a realização do evento atende à Lei 6.192, sancionada pelo prefeito Mario Botion em abril, a partir de propositura da vereadora Mayra Costa.

A ação teve como objetivo compartilhar experiências entre os participantes, tais como os sintomas presentes na depressão durante o período da infância e da adolescência, os fatores de risco e as atitudes que devem ser evitadas pelos responsáveis e familiares.

Segundo Gabriela, as pessoas próximas a crianças ou adolescentes com quadro depressivo não devem minimizar o problema. “Cerca de 10% das crianças apresentam sintomas de depressão em alguma fase da vida, mas na infância há dificuldade natural de identificação dos próprios sentimentos, o que pode prejudicar o diagnóstico. Nós, como responsáveis, devemos estar atentos e não podemos minorar qualquer sintoma”.

Para Marinete Souza, que participou da roda de conversa, conhecer os sintomas pode ser determinante para o diagnóstico da doença e o seu tratamento. Dentre eles, está a apatia, a irritabilidade, a insônia ou o sono excessivo, baixa autoestima, angústia, queixa de dores físicas, isolamento social e alterações no apetite. Conforme Gabriela, o quadro de depressão configura-se quando o paciente apresenta pelo menos cinco dos sintomas descritos e quando eles persistem por no mínimo duas semanas.

MOSTRA DE ARTES

O Ambulatório de Saúde Mental recebe até a próxima segunda-feira (14) a “1ª Mostra de Artes Infantis”. Serão apresentados desenhos e pinturas confeccionados por crianças e adolescentes assistidos pela unidade. Aberta a toda população, a exposição está instalada no salão na própria sede do Ambulatório, localizado na Av. Ana Carolina de Barros Levi, 650, Centro.

SEM COMENTÁRIOS