Home Local Emeief José Castilho participa de seletiva nacional

Emeief José Castilho participa de seletiva nacional

195
0

Desde o início do ano os alunos da Emeief José Justino Castilho, localizada no Jardim Santa Eulália, tiveram nas aulas de artes, uma atividade diferente. Os estudantes desenvolveram trabalhos artísticos para participarem do Prêmio MPT na Escola 2019. 

A unidade escolar pelo segundo ano consecutivo representará o estado de São Paulo na seletiva nacional. Em 2018 a escola conquistou o 1º lugar na disputa estadual e garantiu o 7º lugar na classificação nacional na categoria de curta-metragem. Este ano, com o curta “O fim da infância” e a arte “Atlas da Modernidade” a Emeief José Justino Castilho concorre nas categorias de desenho e curta-metragem. 

O Prêmio MPT na Escola consiste na seleção e na posterior premiação dos melhores trabalhos literários, artísticos e culturais produzidos por alunos do 4° ao 7° anos do ensino fundamental. Todos os produtos desenvolvidos devem abordar temas como o trabalho infantil, o fortalecimento da infância, a proteção ao trabalho jovem e este ano a profissionalização para o ofício. O Ministério Público do Trabalho, responsável pelo prêmio, auxilia as escolas participantes enviando materiais de apoio como cartazes, histórias em quadrinho e jogos educativos para repertoriar a temática com os estudantes.

Os trabalhos foram elaborados dentro do currículo escolar da rede municipal de ensino e seguem as normas da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Na Emeief José Justino Castilho as atividades foram planejadas pelos próprios alunos, orientados professora especialista em artes Silvia Regina Somera Teixeira com o apoio da equipe pedagógica, da diretora Andréia Ventura, da coordenadora Sandra Limeira, da coordenadora de área Ana Paula Beck Zacharias e dos pais ou responsáveis.

O curta-metragem apresentando foi produzido por meio da técnica de stop motion que consiste na animação feita quadro a quadro onde são utilizadas fotografias sequenciais para criar a ilusão de movimento. Na produção foram utilizadas cerca de 1.600 fotos tiradas em ambientes internos e externos. Na categoria de desenho os alunos são orientados durante todo o ano letivo através de aulas de desenho e pintura seguindo o currículo do município. 

Segundo Silvia, a questão do trabalho infantil ainda é visto como algo natural e que precisa ser combatido. “Abordamos temas como a violência e os riscos aos quais as crianças estão expostas a fim de alertar para o combate a esta prática. A intenção do projeto é o resgate e a preservação deste período tão importante para o desenvolvimento infantil”, destacou. Para Alan do Santos Ferreira, criador do desenho selecionado, a exploração do trabalho infantil tira da criança a oportunidade de poder ser criança. “Trabalhando você não tem tempo para mais nada, nem para brincar e ainda pode se machucar”, disse. 

Os alunos do curta-metragem este ano são: Yasmin Oliveira de Sousa, Lucas Eduardo Silva, Gabriel Rosa Silva, Igor de Barros Alves e Crystopher Sabino de Sousa.