Mutirão oftalmológico da Prefeitura de Limeira atenderá 1.800 pacientes

Mutirão oftalmológico da Prefeitura de Limeira atenderá 1.800 pacientes

177
0
COMPARTILHAR

O prefeito Mario Botion acompanhou nesta quinta-feira (26) o início do projeto “ Visão”, um mutirão de oftalmologia que prevê a realização de 1.800 consultas, 300 cirurgias de catarata e 50 cirurgias de pterígio (tecido fibrovascular que atinge a córnea). O mutirão acontece em um “consultório móvel” instalado no Parque Cidade, ao lado da Biblioteca Pedagógica. “O mutirão faz parte do programa Limeira Ativa e Saudável. Estamos avançando cada vez mais, no sentido de facilitar o acesso da população à saúde de qualidade”, disse o prefeito Mario Botion.

O espaço abriga dois consultórios, uma sala de pré-consulta, uma sala de exames e um escritório, onde oftalmologistas atenderão até a próxima quinta-feira (3 de outubro), das 7h às 16h. Botion destacou que a agilidade será a marca desse processo, pois os pacientes serão atendidos pelo médico e na sequência farão os exames na própria estrutura montada no parque. “A população encontrará aqui todos os equipamentos necessários para fazer um diagnóstico preciso. Aqueles que necessitarem, serão encaminhados para cirurgia”, comentou Botion. A ação também foi acompanhada pelo secretário de Saúde, Vitor Santos.

Para tanto, foram selecionados pacientes, sobretudo idosos, que já passaram por consulta nas Unidades Básicas de Saúde e aguardavam avaliação e cirurgia oftalmológica. “Com esta ação, vamos diminuir sensivelmente a demanda por atendimento nessa especialidade”, afirmou Botion.

O mutirão foi contratado por meio do Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região Metropolitana de Campinas – Norte (Cismetro). O investimento foi da ordem de R$ 300 mil. As cirurgias serão realizadas nos dias 5, 6 e 7 de outubro, no hospital Humanitária. Botion observou que os resultados do mutirão serão avaliados e que uma segunda edição do mutirão ocorrerá em breve.

Cleuza Pereira Lima, de 72 anos, moradora do Jd. Ouro Verde, foi uma das pacientes atendidas logo pela manhã. Ela conta que aguardava a cirurgia de catarata há dois anos e que o problema foi agravado após um Acidente Vascular Cerebral. “Minha visão piorou, eu comecei a sofrer quedas”, disse. Após o atendimento no consultório móvel, ela conseguiu agendar a cirurgia para o dia 5 de outubro. “Achei muito bom esse trabalho”, relatou.

Outra paciente que saiu com cirurgia de catarata agendada após 2 anos de espera foi Eulinda Raimundo Damaceno, de 84 anos, residente no Residencial Antônio Brigato. Com mobilidade reduzida, ela recebeu o apoio da vizinha, Aurize de Fátima Oliveira, para se dirigir até o Parque Cidade. “Achei uma boa ideia oferecer essas consultas, porque tem muita gente aguardando atendimento”, frisou Aurize.

SEM COMENTÁRIOS