Caps Infantil tem nova sede

Caps Infantil tem nova sede

96
0
COMPARTILHAR

O Centro de Atenção Psicossocial Infantil (Caps i) de Limeira passa a atender a partir desta terça-feira (24) em um amplo imóvel na Rua Samuel Chequi, 355, no Jd. Montezuma. Até então, o serviço funcionava na Rua Pernambuco, 722, na Vila Cláudia. O novo espaço é maior que o anterior, abriga três salas para sessões individuais, duas salas para oficinas, sala de enfermagem, refeitório, recepção e banheiro feminino, masculino e adaptado.


Como linha de trabalho, o Caps i dedica-se à reinserção social de crianças e adolescentes com transtornos mentais severos e persistentes, como depressão, psicose, esquizofrenia ou tentativa de suicídio, além de vítimas de violência doméstica e de usuários de substâncias psicoativas. Também recebe crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA) e internos da Fundação Casa.
A diretora de Atenção Secundária da Secretaria de Saúde, Andresa Cristina Medeiros de Souza Barros, destaca que o Caps i foi criado em Limeira em 2011, mas foi na gestão do prefeito Mário Botion que o serviço se consolidou, com aumento do quadro de profissionais, disponibilidade de recursos e materiais para realização de oficinas e funcionamento pelo sistema “portas abertas”. Como consequência, o volume de atendimentos aumentou, passando de 6.506 nos primeiros seis meses deste ano, para 1.544 no mesmo período de 2017. Atualmente, há 148 pacientes ativos.
O acesso ao Caps i é feito por demanda espontânea dos próprios usuários ou de suas famílias. Além disso, recebe encaminhamentos dos serviços de acolhimento do município, Cras (Centro de Referência e Assistência Social) e Creas (Centro de Referência Especializado de Assistência Social), da Secretaria de Educação, do Conselho Tutelar, da Defensoria Pública e do Tribunal de Justiça. 
Segundo a enfermeira e coordenadora do local, Flávia Maria de Lima Moreira, uma das principais marcas serviço é o trabalho interdisciplinar, que reúne servidores das áreas de psicologia, terapia ocupacional, enfermagem, pedagogia, fonoaudiologia, assistência social e psiquiatria. 
A psicóloga Daniela Waseda esclarece que os atendimentos são traçados pela equipe multiprofissional a partir de um “Projeto Terapêutico Singular (PTS)”, conforme dificuldades e habilidades apresentadas individualmente pelo usuário. “Trabalhamos sempre com objetivo de transformar nossos pacientes em sujeitos autônomos, dentro de suas possibilidades, e promover a reinserção social”, disse Daniela.
No modelo de tratamento adotado pelo Caps i, as crianças e adolescentes frequentam normalmente a escola, e no período oposto, participam das atividades do local. O atendimento abrange sessões individuais com os pacientes, atividades em grupo e oficinas terapêuticas de arte, leitura e jogos pedagógicos, visando sempre a reabilitação e a reinserção social. 
Outro papel desempenhado pelo serviço é a elaboração do Perfil Psicoeducacional Revisado (PEP-R), um instrumento de avaliação do desenvolvimento de crianças com autismo ou com outros transtornos da comunicação. Ainda em relação ao autismo, o Caps i criou um grupo de apoio familiar, para troca de experiências e orientação profissional na área. 
Além do autismo, o Caps i mantém o Grupo Ponte, um espaço de acolhimento de adolescentes com vivências e problemas decorrentes do uso abusivo de substâncias psicoativas. O grupo é conduzido por dois profissionais que abordam estratégias para o enfrentamento das dificuldades e problemas relacionados ao uso dessas substâncias. Há, ainda, o Grupo de Psicoterapia Familiar, uma estratégia que permite a extensão dos cuidados aos demais integrantes do núcleo familiar.
O Caps i é um serviço da Prefeitura de Limeira, executado pela Secretaria de Saúde, e integra a Política Nacional de Saúde Mental, do Ministério da Saúde. A modalidade “i” é voltada a crianças e adolescentes menores de 18 anos de idade, conforme prevê o Estatuto da Criança e do Adolescente e a Lei nº 10.216/2001, que dispõe sobre a proteção e direito das pessoas com transtornos mentais.
Serviço:O Caps i funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, na Rua Samuel Chequi, 355, Jd. Montezuma. Informações podem ser obtidas pelo telefone 3444-3892. 

SEM COMENTÁRIOS