Humanização do atendimento às mulheres vítimas de violência tem nova capacitação

Humanização do atendimento às mulheres vítimas de violência tem nova capacitação

55
0
COMPARTILHAR

O Ceprosom (Centro de Promoção Social Municipal), em parceria com a Rede Elza Tank de Atendimento à Mulher em Situação de Violência, promoveu nesta quarta-feira (4), no Isca Faculdades, a terceira edição de uma capacitação voltada à humanização do atendimento às mulheres vítimas de violência. Compareceram ao evento, a assessora de Proteção Social Básica, Luciana Micheletti, representando a presidente do Ceprosom, Maria Aucélia Damaceno, a vereadora Erika Tank, servidores da Prefeitura de Limeira, representantes da sociedade civil organizada, professores e estudantes. 
A coordenadora dos Centros de Atendimento Multidisciplinar (CAM) da Defensoria Pública e mestre em Direito Constitucional pela PUC/SP, Lúcia Thomé Reinert, que fez uma explanação sobre o tema, “Direitos e Garantias Fundamentais da Mulher”, falou sobre a necessidade de empoderamento das mulheres. “As mulheres precisam saber que têm voz, que não estão sozinhas. Elas precisam conhecer quais os órgãos que podem ser acionados em casos de necessidade”, disse. 
Nesse contexto, Lúcia comentou a importância das capacitações organizadas pela Prefeitura de Limeira, por meio da Rede Elza Tank. “Os profissionais que atuam nessa área devem conhecer a legislação, como a Lei Maria da Penha, e receber as mulheres que procuram atendimento de uma maneira mais sensível e com uma escuta mais acolhedora”, frisou.
No evento, o público também assistiu às palestras: “Violência contra a mulher”, com a psicóloga e especialista em Psicologia Clínica Comportamental, Amanda Abreu Silva; e “Humanização do atendimento na perspectiva da Lei Maria da Penha”, com a jornalista, escritora e professora da Academia de Polícia Civil, Terezinha de Carvalho; além de articuladores da rede falando sobre o atendimento a esse público. 
Sobre a RedeA Rede Elza Tank de Atendimento Integrado às Mulheres em Situação de Violência foi criada pela Lei N° 5.452/14, de autoria da vereadora Erika Tank. Trata-se de um conjunto de serviços visando o trabalho articulado para garantir à mulher vítima de violência acesso integral e permanente aos seus direitos.

SEM COMENTÁRIOS