Falta de vacina pentavalente preocupa em Limeira

Falta de vacina pentavalente preocupa em Limeira

534
0
COMPARTILHAR

A vacina pentavalente, indicada para imunização ativa de crianças a partir de dois meses de idade contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e doenças causadas por Haemophilus influenzae tipo B, está em falta em Limeira desde a semana do dia 30 de julho. A Gazeta, no entanto, registra queixas de leitores sobre o desabastecimento desde a primeira semana de julho.

É possível destacar que, em Limeira, deve ter centenas de bebês sem a proteção desta vacina, considerada essencial. Não há um levantamento específico pela Vigilância Epidemiológica, mas o setor confirma a falta da vacina nos postos e diz que reiterou os pedidos de novas doses à Secretaria Estadual da Saúde, que por sua vez, repassa as vacinas encaminhadas pelo Ministério da Saúde. A justificativa apresentada, diz a pasta municipal, foi “desabastecimento”.

A reportagem entrou em contato novamente com o Ministério da Saúde. A nota diz que a previsão é de regularização do fornecimento só no mês que vem. “A previsão é que a distribuição da vacina pentavalente seja normalizada a partir de setembro de 2019”.

É competência do órgão federal a distribuição da vacina aos estados, que as repassam aos municípios. O ministério diz que este ano encaminhou mais de 3 milhões de doses da vacina pentavalente aos estados. Para ofertar a pentavalente no calendário de vacinação do SUS, o Brasil compra a vacina via Fundo Estratégico da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), uma vez que não existe laboratório produtor no país. 

O fundo possui fornecedores pré-qualificados pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que assegura que produtos sejam consistentemente produzidos e controlados de acordo com padrões de qualidade apropriados para o uso pretendido, atendendo especificações previamente estabelecidas. Antes de serem distribuídos para a população, ainda, as vacinas passam por uma análise do Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS). 

No entanto, os lotes mais recentes da pentavalente recebidos do laboratório Biologicals E Limeted India foram reprovados pelo INCQS e Anvisa, informa a nota à Gazeta. Para evitar desabastecimento, o ministério solicitou a substituição à Opas e, desde o dia 11 de julho, encaminhou aos estados 427 mil doses da vacina pentavalente do laboratório Serum Índian, buscando a regularização dos estoques em todo o país. “Não há previsão de recebimento de outros lotes do laboratório Biologicals E Limeted India. A orientação do Ministério da Saúde é que, nos municípios com baixo estoque da vacina, os profissionais de saúde façam o agendamento da vacinação”, finaliza a nota.

Imunizante contra tuberculose
também estava em falta

A Secretaria Municipal de Saúde recebeu, na última quarta-feira, um lote de doses da vacina BCG (contra tuberculose). A vacina deve ser administrada logo após o nascimento dos bebês, “porém, frente ao atraso no repasse de doses dos governos federal e estadual, esteve em falta este mês”. A orientação é que todos os pais e responsáveis pelos bebês que nasceram neste mês, residentes em Limeira e que não receberam a vacina nos hospitais, entrem em contato com a Vigilância Epidemiológica para agendar o procedimento. O telefone é 3442-5984. (Renata Reis)

Fonte: Gazeta de Limeira

SEM COMENTÁRIOS