Evento cívico lembra revolução de 32

Evento cívico lembra revolução de 32

208
0
COMPARTILHAR

Evento realizado na manhã desta terça-feira  (9) homenageou postumamente, os  limeirenses que compuseram a Força Paulista na Revolução Constitucionalista de 1932.
A cerimônia organizada pela Comissão Municipal de Civismo teve a participação da Tropa do Tiro de Guerra, comandada pelo subtenente Francisco Anibal Franklin de Lima,  do 1°, 2° e 3° pelotões da Polícia Militar, sob o comando do segundo Tenente Bispo, dos grupamentos Pelotão Ambiental e do Canil, da GCM e dos grupos de escoteiros Limeira e Tatuiby, que seguiram em desfile pela avenida Saudades até a Praça do Soldado Constitucionalista de 1932, em frente ao cemitério Saudades I.
As tropas foram acompanhadas pela Banda Marcial da escola Senai Luiz Varga, com a regência do maestro Júnior Luiz Villas Boas, que executou a marcha Paris Belfort(hino da revolução), Hino Nacional Brasileiro, além de vasto repertório popular.
O subcomandante do 36°  Batalhão da PM, major Caramaschi lembrou dos paulistas, limeirenses desta revolução.”São verdadeiros heróis, na concepção da palavra, lutaram pelos ideais de seu povo e pela democracia. Merecem nossa reverência”, destacou.”É uma honra para nós policiais estarmos aqui hoje prestando está homenagem”, concluiu.
Para o subtenente Franklin(TG), apesar de um certo constrangimento por representar o outro lado desta revolução, sente-se orgulhoso em estar no evento com sua tropa. “Vivemos outros tempos e naquele período foi necessário o levante paulista e entendemos isso, hoje as forças vivem de forma harmoniosa em pról dos mesmos objetivos, isso também é uma vitória a ser comemorada”, comentou.
O evento foi finalizado com a deposição de uma Corbélia de Flores no Monumento do Soldado Limeirense, Sargento Pierrotti e o toque de silêncio executado pelo maestro Júnior Luiz Villas Boas.


Em seu discurso, o prefeito Mario Botion parabenizou as tropas e grupamentos participantes da homenagem e reverenciou os ex-combatentes limeirenses e suas famílias que guardam na história este ato de heroísmo de um ente querido. O prefeito destacou também a grande participação das mulheres na revolução, como enfermeiras, cozinheiras e até mesmo no front de guerra, que foram importantíssimas.
“É um dever do poder público este resgate da história e estamos hoje aqui homenageando esses limeirenses, idealistas, que empenharam uma arma em pról de um objetivo comum a todos os paulistas”, falou Botion.
Também estiveram presentes ao evento a vereadora Dra Mayra, o secretário de Segurança Pública, Francisco Alves, a diretora-presidente do grupo de Escoteiro Limeira 362°, Rosângela Faccioni, o chefe da Tropa Senior do grupo de Escoteiro Tatuiby 52°, Fernando Sanches de Oliveira, além de  secretários municipais.

História
O 9 de julho é considerada a data do maior evento cívico do estado de São Paulo.
A revolução aconteceu nos meses de julho a outubro de 1932 e teve como objetivo a derrubada do governo provisório de Getúlio Vargas e a promulgação de uma nova constituição para o Brasil.
No total foram 87 dias de combate e o saldo oficial de mortes é de 934.
Historiadores entendem que o estado de São Paulo teve uma vitória moral nesta revolução, já que 2 anos depois, uma nova constituição foi promulgada no país.

Limeira
Algumas famílias limeirenses que tiveram entes na revolução: Pierroti, Forster, Figueira, Fernandes Prado, Rodrigues de Oliveira, Duarte, Barros Camargo, Levy, Nenholdi.

SEM COMENTÁRIOS