Prefeitura interdita empresa clandestina de galvanoplastia

Prefeitura interdita empresa clandestina de galvanoplastia

260
1
COMPARTILHAR

A Prefeitura de Limeira, por meio da Vigilância Sanitária (Visa) e da Secretaria de Meio Ambiente e Agricultura, participou nesta terça-feira (14) de uma operação em parceria com a Polícia Civil que resultou na interdição da linha de produção de uma empresa de galvanoplastia. No local, foram encontradas grandes quantidades de produtos químicos, como ácido sulfúrico, sem licença nos órgãos competentes. O proprietário do estabelecimento foi preso em flagrante e encaminhado pelo delegado João Jorge Ferreira da Silva ao 3º Distrito Policial, onde pagou fiança de R$ 5 mil e foi liberado.

Outra irregularidade identificada pelos fiscais do município foi a emissão de gases tóxicos resultantes do banho químico de peças folheadas, que chegava a provocar uma espécie de névoa no galpão onde a fábrica operava, no Pq. Egisto Ragazzo. Os fiscais também constataram inadequações na impermeabilização do solo e no tratamento dos resíduos químicos da galvanoplastia. A empresa também operara sem licença de funcionamento.

A Secretaria de Meio Ambiente e Agricultura emitiu um auto de infração no valor de 600 Ufesps – o equivalente a R$ 15.918, em decorrência da falta de licença ambiental, manipulação de substâncias prejudiciais à saúde, contaminação do solo, entre outros. Já a Visa fez a interdição dos produtos químicos e equipamentos utilizados no processo de galvanoplastia e também emitirá um auto de infração pela manipulação irregular de substâncias químicas – o valor ainda será arbitrado pelo departamento.

Denúncias podem ser encaminhadas via 156 ou pelo Departamento de Licenciamento, Fiscalização e Áreas Verdes, pelo telefone 3442-9628.

1 Comentário

Comments are closed.