Alunos da rede pública de SP podem participar do projeto Jovem Senador

Alunos da rede pública de SP podem participar do projeto Jovem Senador

160
0
COMPARTILHAR

O projeto anual Jovem Senador, aberto para alunos da rede pública de até 19 anos em todo o Brasil, ensina os estudantes sobre o funcionamento da sociedade e dos dispositivos democráticos, por meio da gestão pública e do processo pelo qual as leis são aprovadas.

A iniciativa busca estimular os estudantes a propor projetos que podem virar lei. Por meio de uma redação, os interessados devem defender pontos de vista e a aplicação daquele projeto.

Na classificação final, 27 jovens senadores, um de cada unidade da Federação, passarão uma semana em Brasília, junto com os professores. Na cidade, eles participarão de atividades e palestras, em uma imersão de como funciona o Poder Legislativo e a estrutura do Congresso Nacional.

“Os estudantes saem muito transformados. Eles perdem aquela imagem mais clichê do político e entendem como o processo legislativo funciona. Os jovens saem muito enriquecidos com o aprendizado sobre a democracia”, salienta Herivelto Ferreira, coordenador de gestão de eventos do Senado.

Procedimentos

O processo começa nas instituições de ensino, convidadas a promover um concurso de redação interno para os alunos. Para essa edição, o tema é “Cidadão que acompanha o orçamento público dá valor ao Brasil”. O melhor texto de cada escola deve ser enviado à secretaria de educação do próprio estado, que seleciona três textos para representar a unidade da Federação na etapa final.

No Senado, uma comissão classifica os textos e decide os três primeiros colocados. “O prêmio começa com o envolvimento das secretarias de educação dos estados”, explica Mara Ewbank, coordenadora geral de valorização, saúde e bem-estar dos profissionais da educação do Ministério da Educação (MEC).

“O desenvolvimento do tema é direcionado para que o aluno olhe o seu microambiente para poder buscar argumentos e apresentar o que seja análise em soluções que possam dar resposta aos problemas existentes”, complementa.

“Vivi coisas antes inimagináveis para mim. Em termos de conhecimento, também agregou muita coisa na minha vida”, conta a estudante de Medicina Eduarda Judith Jácome Dias, que participou do Projeto Jovem Senador, em 2016, por Sinop (MT). No Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2017, ela tirou nota 1.000 na redação e passou no curso concorrido.

Cidadania

Na rede pública do Estado de São Paulo, a edição 2018 do projeto foi bem representada. Matheus Moura Carabolante, aluno da Escola Estadual Oscar Antônio da Costa, do município de São Francisco, foi o 2º colocado nacional com o texto “Democratização e Dignidade”.

No texto, o aluno traça um paralelo entre literatura e política para demonstrar a importância da cidadania. “Precisamos de cidadãos mais ativos. Isso só pode ser feito com o estudo da Constituição, com o que ela nos traz e ir atrás para reivindicar nossos direitos. Entender a base torna a caminhada para o futuro mais fácil”, enfatiza o estudante, que deseja cursar Engenharia Elétrica.

SEM COMENTÁRIOS