Nebulização é estratégia para bloquear transmissão da dengue em áreas pontuais de...

Nebulização é estratégia para bloquear transmissão da dengue em áreas pontuais de Limeira

222
1
COMPARTILHAR

A Prefeitura de Limeira, por meio da Secretaria de Saúde, iniciou nesta segunda-feira (11), trabalho de bloqueio (nebulização com equipamento portátil), visando a eliminação do mosquito Aedes aegypti em pontos específicos dos bairros Jd. Ouro Verde, Jd. Odécio Degan e Jd. Inocoop. A ação ocorre nas quadras e no entorno de onde há casos suspeitos ou confirmados da doença. Participam da atividade, 14 servidores da Divisão de Controle de Zoonoses.

Segundo a chefe da Divisão, Pedrina Aparecida Rodrigues Costa, a iniciativa integra os protocolos de controle previstos pelos governos Estadual e Federal e deve ser realizada sempre que há identificação de circulação viral ou adensamento de suspeitos em uma determinada região.

Pedrina esclarece que antes da nebulização, agentes de controle de zoonoses fazem vistoria nos imóveis para eliminar os criadouros do mosquito, sempre acompanhados dos moradores. “É uma forma de garantir maior efetivação da ação”, disse. “Com a nebulização, conseguimos eliminar a forma alada do mosquito, interrompendo, assim, o ciclo de transmissão da doença”, completou.

Pedrina destacou que a população deve colaborar com os trabalhos preventivos e de controle, recebendo os agentes de saúde para o sucesso das ações executadas. Ela salientou a necessidade dos moradores vistoriarem o próprio imóvel pelo menos 10 minutos por semana, a fim de eliminar potenciais criadouros do Aedes aegypti. Além da dengue, o mosquito também é transmissor da zika e da chikungunya.

Alerta

O diretor de Vigilância em Saúde, Alexandre Ferrari, observou que o município apresenta situação de “alerta” para a dengue. Segundo estudo realizado em janeiro, o índice de infestação de larvas do mosquito é de 1,7. Conforme os critérios do Ministério da Saúde, índice inferior a 1 indica condição satisfatória; de 1 a 3,9, configura-se como situação de alerta; e superior a 3,9, sugere risco.

Os bairros mais críticos, em que o índice encontrado foi de 3,94%, concentram-se na “região 2”, são eles: Jd. Alvorada, Jd. Antonio Brigatto, Jd. Barão de Limeira, Gleba Beatriz, Jd. Boa Esperança, Jd. Boa Vista, Vila Camargo, Jd. Grêmio, Pq. Hipólito, Jd. João B. Levy, Pq. Res. João Ometto, Jd. Kelly, Vila Labak, Jd. Presidente Dutra, Jd. Rossi, Vl. Sta. Lúcia, Jd. São Carlos, Jd. Cavinato, Jd. Celina, Jd. Nova Conquista, Jd. Nova Suissa, Jd. Oliveira, Jd. Orestes Veroni, Dom Oscar Romero e Jd. São Simão.

“Intensificamos as ações de controle do mosquito, realizamos um grande mutirão no último sábado e temos outro agendado para o dia 16. Porém, a circulação do vírus do tipo 2 da dengue no estado demanda ainda maior cuidado por parte da população”, salientou Ferrari.

1 Comentário

Comments are closed.