Ações contra hanseníase são intensificadas no Janeiro Roxo

Ações contra hanseníase são intensificadas no Janeiro Roxo

141
1
COMPARTILHAR

A Prefeitura Limeira, por meio da Secretaria da Saúde, intensifica suas ações no combate à hanseníase durante o Janeiro Roxo. Com médicos e enfermeiros capacitados, todas as Unidades Básicas de Saúde do município realizam ações de prevenção à doença neste mês, de acordo com cronograma de dias e horários específicos para cada unidade.

O Ministério da Saúde instituiu o mês de janeiro e a cor roxa para conscientização sobre a hanseníase, em 2017. No Brasil, são registrados por ano, cerca de 30 mil casos nos vários estados brasileiros e dentre as várias classes sociais, incluindo adultos e crianças. Em Limeira, são oferecidos o diagnóstico e o tratamento da doença nas UBSs. Uma vez identificada a doença, o paciente é encaminhado para à Vigilância Epidemiológica onde o tratamento da doença tem início.

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Hansenologia, nos últimos 10 anos o número de casos caiu no país, mas a falta de tratamento dos casos existentes aumentou o número pessoas com incapacidade física. “Há paciente que convivem durante anos com a doença sem conhecer os sintomas. Assim, é preciso que a população seja alertada e se torne multiplicadora de informações, para evitar o diagnóstico tardio e as sequelas”, alerta o secretário de Saúde, Vitor Santos.

SAIBA MAIS SOBRE A HANSENÍASE

O que é hanseníase?

Doença infecciosa e contagiosa que causa manchas esbranquiçadas ou avermelhadas na pele. A pele também pode ter alteração da sensibilidade – paciente não sente (ou tem sensibilidade diminuída) a calor, frio, dor e mesmo o toque. É comum ter sensação de formigamento, fisgadas ou dormência nas extremidades (pés e mãos). Em algumas áreas pode haver diminuição do suor e pelos. O paciente pode ter dificuldades para segurar objetos ou pode queimar-se e não sentir.

De onde vem a doença?

A hanseníase não é hereditária. É causada pelo bacilo Mycobacterium leprae e sua transmissão acontece de pessoas doentes sem tratamento para pessoas saudáveis, pelas vias aéreas superiores (tosse, espirro e fala).

Como é feito o diagnóstico da hanseníase?

No diagnóstico, o médico analisa lesões na pele com manchas (partes da pele podem não ter sensibilidade) e alterações neurológicas específicas (dormências e formigamentos). Importante: todas as pessoas que convivem ou conviveram com o paciente de hanseníase devem ser examinadas.

Hanseníase tem cura?

Sim. Quanto mais cedo o tratamento, menores são as agressões aos nervos e é possível evitar complicações. O paciente que inicia o tratamento não transmite a doença a familiares, amigos, colegas de trabalho ou escola.

Como são feitos os exames?

Em muitos casos, os médicos podem diagnosticar a doença apenas no exame clínico. Pacientes de hanseníase fazem exame dermatológico e exame neurológico.

Como é o tratamento?

O tratamento é simples. Em qualquer estágio da doença, o paciente recebe gratuitamente os medicamentos para ingestão via oral – os medicamentos destroem os bacilos. O tratamento leva de 6 meses a 1 ano. Se seguir o tratamento cuidadosamente, o paciente recebe alta por cura.

1 Comentário

Comments are closed.