Home Local Saúde confirma quarto caso de morte por febre maculosa em 2018

Saúde confirma quarto caso de morte por febre maculosa em 2018

363
0

A Secretaria Municipal de Saúde confirmou mais um caso de morte por febre maculosa em Limeira (SP) este ano. A vítima é um jovem de 26 anos que morreu no dia 15 de setembro e o exame laboratorial confirmou a doença nesta terça-feira (23). Com este caso, a cidade soma quatro mortes pela doença e dois que evoluíram para cura.

Ainda de acordo com a Saúde, o jovem morava no bairro Abílio Pedro, local onde viviam outras duas pessoas que morreram vítimas de febre maculosa na cidade, uma menina de 4 anos e uma mulher de 47 anos. As mortes aconteceram nos dias 30 de junho e 28 de julho, respectivamente. Segundo a Saúde, a investigação apontou que as três vítimas foram contaminadas no bairro.

O quarto caso, um menino de 4 anos que morreu no dia 24 de maio, a investigação da Saúde concluiu que foi importado de Americana (SP).

Os dois casos que evoluíram para cura, um menino de dois anos e uma mulher de 71 anos, também foram registrados no bairro Abílio Pedro. Limeira tem também outro caso confirmado, de um homem de 35 anos, mas a contaminação ocorreu no Campo Marrafon, em Iracemápolis (SP).

A cidade ainda tem 10 casos suspeitos da doença que aguardam resultado de exame, mas nenhum evoluiu a morte, segundo a Saúde.

Investigação no Abílio Pedro

Com os casos de contaminação registrados no Parque Residencial Abílio Pedro, o setor de Serviços Públicos da Prefeitura de Limeira informou que instalou, no final de agosto, placas informativas na área, alertando a população sobre a presença do carrapato-estrela. Também foi feito o corte do mato de todas as áreas públicas e pulverização.

A Saúde investiga a fonte de contaminação na área, já que não há indícios da presença de capivaras no local, que são o vetor do carrapato que transmite a doença.

“A pesquisa acarológica demonstrou presença do carrapato-estrela apenas nas áreas de preservação ambiental. Foi descartada a presença de caparrato no campo de futebol e nas áreas residenciais”, diz a nota da Saúde.

O setor acionou a Superintendência de Controle de Endemias (Sucen) do Estado de São Paulo, para investigar o que estaria provocando a presença dos carrapatos. Uma das hipóteses são cavalos que ficam na região. A Vigilância ainda aguarda o resultado.

Fonte: G1 Piracicaba